sexta-feira, 18 de maio de 2018

MEGA SHOW EM MONLEVADE

Quem lê logo pensa: quem será que está vindo aí? Será Henrique e Juliano? Jorge e Mateus? Não meus amigos. Coitados desses aí pra chegar no dedinho mindinho no artista que vou citar. Esse cara é compositor de diversos sucessos, ator, redator, humorista, um artista completo conhecido em todo o Brasil. O nome desse caboclo é MOACYR FRANCO. O cara tá com 80 anos de idade com fôlego e tesão de um garotão de 20. Difícil acompanhar o pique ele.
KISSUSSÊGO DE PARABÉNS
A casa, de uma forma tranquila, sem exageros comerciais ou publicitários, tem levado a Monlevade shows excelentes de artistas que não estão na crista da onda, mas que estão vivos na memoria de todos. Há pouco tempo Agnaldo Timóteo esteve lá, também um estrondoso sucesso. O show do Moacyr Franco será no dia 17 de Agosto. Imperdível. Vou fazer o possível pra ir. 
Catas Altas tem o Festival do Vinho.
E A REGIÃO?
Não tenho visto notícias de bons shows acontecendo, a não ser de covers em butecos. Vejo alguma coisa acontecendo em São Gonçalo.  Em Itabira uma coisa ou outra. Monlevade também, um especial com Aggeu e amigos de vez em quando e os shows do Kissussêgo. Quase nada acontecendo. Em Alvinópolis bons shows na Laje 167. Em Catas Altas, tem o Festival do Vinho, mas é uma vez por ano e só. Em Santa Bárbara, Barão, SDPrata, Rio Piracicaba, quase nada mesmo. E quanto tem, muitas vezes o povo não vai. Que fase.

ESCRAVIDÃO MODERNA
A nova música nova de Júlio Sartori e do DIZARM de cara nos põe a pensar: será que somos livres mesmo? Será que a princesa isabel não fez o serviço pela metade? Não seremos todos escravos das circunstancias ? Casamentos prisão, empregos prisão,  religiões prisão. Gostei muito da interpretação do Julio na música, bem como das guitarras nervosas de André Freitas.

CONCURSO FOTOGRÁFICO
Tivemos alguns atrasos por causa de detalhes. Tivemos de adiar um pouquinho. Mas lançaremos nos próximos dias o regulamento e abertura de inscrições para o CONCURSO FOTOGRÁFICO PENSANDO MONLEVADE. Haverá prêmios para votação pela internet e para as mais votada pelos juri técnico.  Vcs já pode ir tirando fotos, viu?

E O FUTURO?
O Grupo PENSANDO MONLEVADE foi criado para refletir as coisas da cidade e também promover eventos, shows, festivais, palestras, campanhas voltadas para a cultura, para a convivência civilizada e para o bem comum. Aguardem novidades..
EU NÃO SOU CACHORRO NÃO
Mas sou amigo deles. Por isso quero conclamar todo mundo a comparecer no 4º Encontro dos Apaixonados por Cães que vai acontecer no dia 20 - Domingo - na praça do Povo em Monlevade da 9 as 13 horas. Vai ter shows, praça de alimentação e muito mais.
E A 381
Sejamos otimistas. Vamos parar de implicar com o DNIT. Até 2100, se não houver nenhum problema, essa rodomorte fica pronta. Povo chato, sô!

sexta-feira, 11 de maio de 2018

CIDADE FOTOGÊNICA


CONCURSO FOTOGRÁFICO PENSANDO MONLEVADE
Se você gosta de tirar fotos, já pode começar nesse final de semana a clickar a cidade. É que será lançado na terça-feira, dia 15 o Concurso Fotográfico PENSANDO MONLEVADE - Cores do Outono. Será um concurso voltado para amadores e profissionais. As pessoas poderão tirar fotos tanto com câmeras profissionais como de seus smartphones. O tema será João Monlevade, suas paisagens no outono, o sol vermelho-dourado do fim de tarde, a neblina nas manhãs, o fogo azul da Mittal, as franjas das montanhas a partir dos bairros mais serranos, a sua janela lateral do quarto de dormir. Fiquem atentos. Quem quiser saber mais, só procurar o grupo PENSANDO MONLEVADE no facebook.
FESTIVAL DA CANÇÃO ALUSIVO AO BICENTENÁRIO DE JEAN MONLEVADE
Uma boa notícia para os compositores e poetas. Prefeitura realizará Festival da Canção alusivo do Bicentenário de Jean Monlevade. Considero uma boa notícia para o meio artístico em geral, para exercitar a criatividade do pessoal e também para que a fantástica história desse pioneiro seja contada em versos e música. Na próxima segunda-feira, dia 14, às 19h, na sede da Câmara Municipal, a prefeita, Simone vai assinar a autorização para a publicação do Edital do Festival da Canção do Bicentenário de Jean Monlevade. As inscrições para a participação no Festival da Canção estarão abertas de 16 de maio a 15 de junho. Uma comissão especialmente constituída deverá selecionar 10 músicas, que serão apresentadas no dia 30 de junho. Serão distribuídos R$6 mil em prêmios aos primeiros colocados, e todos os concorrentes receberão troféus de participação.
VAMOS AGUARDAR O REGULAMENTO
O termo aparentemente significa que tem de ser um tema conexo. Imagina-se que só serão aceitas canções versando sobre Jean Monlevade. Vamos ver se terão de necessariamente falar sobre o pioneiro ou se serão aceitas também canções que falem sobre as consequências desses 200 anos para a vida da cidade,  dos empreendedores que levaram a diante o sonho da construção da cidade. Vamos aguardar.
JEAN VIROU JOÃO
No ano passado, tive ao oportunidade de musicar uma poesia de Erivelton Braz e até fizemos um vídeo que foi muito visto na internet. Se eu que nem sou Monlevadense fui impactado pela história do francês, imagino os nativos. A memória desse cara merece ser exaltada, exaltada e exaltada.
OUTROS FESTIVAIS
Tomara que essa palavra FESTIVAL seja tão repetida nos próximos dias, que grave na cabeça das pessoas e todos queiram mais festivais de Música. E precisam acontecer mais Festivais de tema livre, para que os compositores possam fruir suas composições mais recentes, para que surjam revelações, novos intérpretes, novos músicos. Por falar nisso, estou aguardando notícias sobre o Festival da Canção em Alvinopolis em 2018. Até agora ninguém divulgou nada.

sexta-feira, 4 de maio de 2018

PENSANDO MONLEVADE e ADJACÊNCIAS TAMBÉM...

O grupo e o blog PENSANDO MONLEVADE foram criados há menos de uma semana e já causaram barulho. A enquete: QUAIS OS MONLEVADENSES MAIS IMPORTANTES DA HISTÓRIA gerou um tititi daqueles. Levamos porrada da direita indignada e da esquerda ressentida. Mas tá tranquilo. Com o tempo a gente aprende a levar cacetadas e nem triscar. Qualquer um que fizer a lista vai escalar a sua seleção. O que fizemos foi escalar a do PENSANDO MONLEVADE a partir do legado dos indicados, de conversas com monlevadenses, da relevância histórica de cada um. Publicamos também nomes de outros também votados e importantes. Não quisemos nos guiar a partir das paixões que configuraram a cidade. O que percebi é que não existe nenhuma unanimidade. Até Jean Monlevade, que eu achava que não seria contestado teve gente que achou que não merecia. Houve quem dissesse que não merece por ter sido escravocrata, infiel à esposa e patrão, como se fosse pecado ser patrão. E teve gente xingando vários outros e nos xingando também, achando que cicrano devia fazer parte, que beltrano não merecia, questionando nossa legitimidade, sugerindo que façamos uma eleição democrática. E nós só vamos seguir em frente...
OS 10 MAIS IMPORTANTES APURADOS.
1) - Jean-Antoine Félix Dissandes de Monlevade ; 2) - Germim Loureiro ( BIO); 3) - Louis Ensch; 4) - Padre Henriques; 5) - Mauri Torres; 6) - Marcelo e Hélio;7) - Dr.Lucio Flavio de Souza Mesquita ; 8) - Dona Luzia do cartório; 9) - Leonardo  Diniz; 10) - Neide Roberto.  Quem quiser conferir todos os indicados com seus históricos e razões das escolhas, procure PENSANDO MONLEVADE no facebook. Pode também acessar direto através do Blog - www.pensandomonlevade.blogspot.com
CONCURSO FOTOGRÁFICO PENSANDO MONLEVADE

Nossa ideia com o PENSANDO MONLEVADE é provocar reflexões e também criar promoções que mexam com o sentimento de pertencimento e amor à cidade. Por isso, em breve será lançado o CONCURSO FOTOGRÁFICO PENSANDO MONLEVADE. A protagonista será a própria cidade, suas paisagens, suas belezas ocultas, seus detalhes. Será um concurso apenas digital, aberto a amadores e profissionais. Aguardem mais notícias...
MÚSICA ITABIRANA FOR EXPORT...
Cleber Camargos já desenvolvia um trabalho maravilhoso com o grupo de percussão MENINOS DE MINAS, de Itabira. E não é que a sementeira deu fruto? A filha do Cléber é nada mais nada menos que MAÍRA BALDAIA, cantora que dia-a-dia vai conquistando seus espaços na música mineira. Deve ser uma alegria muito grande pro Cleber. Os Meninos de Minas e Maíra Baldaia apresentaram-se em Hartfford nos Estados Unidos no evento SAMBA FEST. Ê minas!!!
INFOCUS 20 ANOS DE POP ROCK TURBINADO
Essa turma merece uma menção muito especial. Todos músicos excelentes, que sabem fazer um pop rock de qualidade. A banda deu um tempo enquanto o furação Marco Aurélio cuidava do projeto SOULDUSAMBA. Mas a volta para a gravação de DVD comemorativo, demonstra o arrojo dessa turma, não só como músicos, mas como marketeiros eficientes, que sabem produzir e promover eventos. No dia 09 de junho estarão no Centro Cultural gravando seu DVD e será mais um sucesso, como tudo que essa galera faz.


sexta-feira, 27 de abril de 2018

KD ?

Onde estão os compositores? Cadê as músicas de Chico Franco,compositor de lindas letras e canções. Cadê as músicas do Rômulo Rás? Cadê as letras psicológicas de Julio Sartori? Cadê as canções de  João Roberto? Cadê Ronivaldo? Cadê a banda Calk? E o Infocus e Souldusamba com músicas novas, próprias? Cadê as músicas inspiradíssimas de Isa Lelis? Cadê as composições originais de Daniel Bahia? Cadê os arranjos muito bem bolados de André e João Freitas? Cadê as canções próprias do Josagno? Cadê Elcimar? Cadê as próprias de Livvia Bicalho? Cadê as autorais? Cadê as músicas de Dan e Duca? Cadê mais coisas de Markus Câmara? Cadê Mauro Martins? Cadê as composições e interpretações incríveis de Cilla Cordelli? Cadê eu também? Será que todos se cansaram e pararam de compor? 
PENSANDO MONLEVADE
Há algum tempo atrás, criei um grupo no facebook chamado PENSANDO ALVINÓPOLIS. Foi um sucesso incrível, gerando um tráfego muito positivo de ideias e debates construtivos. Depois criei o PENSANDO FONSECA no distrito Alvinopolense. Também um sucesso, congregando os moradores da quase cidade. Então pensei comigo: puxa vida! Quem sabe um PENSANDO MONLEVADE? Mas tinha de ser em parceria com monlevadenses, pois embora eu goste e admire muito a cidade, não conheço as minúcias e os sentimentos dos que realmente fizeram a vida na cidade. Convidei em princípio a amiga Sheila Malta, que gosta muito da convivência virtual, principalmente dos assuntos culturais.  Com um dia apenas de existência, mais de 500 membros e uma resenha muito boa. A propósito, estão todos convidados.
HINO DE MONLEVADE MERECE SER GRAVADO DIREITO
Embora seja um dos hinos mais lindos de cidades que já conheci, merece uma gravação à altura de João Monlevade. Quando ainda residia em João Monlevade, tentamos viabilizar um projeto de gravação do hino. Chegamos a contatar um arranjador, fizemos até partitura, providenciei uma simulação eletrônica, mas infelizmente na época houve uma contenção de gastos e não conseguimos levar adiante, para minha grande tristeza. Mas está sempre em tempo. A gravação que existe foi feita há muitos anos atrás e carece uma atualização. Quando em cerimônias cívicas são executados os hinos nacional e de Monlevade, é gritante a diferença de qualidade. Autoridades municipais: o hino merece uma gravação à altura da grandeza da cidade.
JEAN MONLEVADE - ROMANCEADO E HISTÓRICO
Tive a oportunidade de ler os livros do Jairo Martins e do Erivelton Braz sobre o fundador da cidade. Gostei muito. Tudo muito honesto pois os autores sempre deixaram claro que tratavam-se de romances históricos baseados em fatos reais.. Não li o livro do Afonso Jr, mas pelas informações que obtive é um livro mais realista, com muitos dados históricos e citações que dão sustentação ao trabalho de pesquisa do autor. Acompanho também com muita atenção os textos do Fernando Garcia à respeito. Ele tem um ponto de vista muito interessante Ele diversifica esses pontos de vista a partir da visão dos trabalhadores que levaram a cabo o trabalho pesado, dos índios, das históricas centrais e paralelas. De qualquer maneira, a saga é muito rica. Se os produtores da Netflix tivessem acesso, podia dar algumas boas mini-séries. Conteúdo e aventuras é que não faltam.

ENTREVISTAS
Pasmem: muitos artistas e autoridades não querem ser entrevistados. Alguns não se dão ao trabalho nem dar um feedback. Vida que segue...

sexta-feira, 20 de abril de 2018

NOTÍCIAS DA MEDIOPIRA...


Maíra Baldaia é a artista do Médio Piracicaba mais badalada dos últimos anos. Seu disco de estréia foi muito elogiado pela mídia, seu show correu mundo, enfim, Minas Gerais vem se curvando ao talento da excepcional cantautora. E para coroar  esse sucesso, ela conseguiu o dinheiro para a gravação do seu DVD  através do crowdfunding  da Catarse. A luta para alcançar a meta foi emocionante. Se não chegasse ao valor estipulado poderia perder tudo. Mas ela conseguiu nos últimos minutos o necessário. Além do talento, Maíra tem uma garra impressionante e grande força de vontade, qualidades essenciais para quem quer ter sucesso na vida, sendo artista ou não.
BOAS NOTÍCIAS
Vejo como positivas as aberturas de dois palcos importantes da região para a música popular. Em São Gonçalo do Rio Abaixo vai ter show com a dupla sertaneja Ramon e Rafael. E no Anfiteatro do Centro Educacional de João Monlevade vai ter show da banda Infocus, que fez muito sucesso na região e fará um revival muito legal. Shows em teatros são muito legais. É uma outra atitude do público, que pode curtir o show, as músicas, com uma qualidade sonora muito melhor, visual, atenção, tudo. Pros artistas também é uma experiência sempre positiva. Parabéns a secretaria de cultura de São Gonçalo e ao pessoal do Centro Educacional por abrirem para a diversidade. Importante inclusive para educar o público, criar hábito. 
Livro Dicionario de Alvinopolês
Está em fase de elaboração em Alvinópolis o "DICIONÁRIO DE ALVINOPOLÊS", um livro com palavras que  gerações vem falando há séculos na cidade, que são passadas de pai pra filho, que fazem parte da cultura Alvinopolense desde sempre. Será um livro para quem deseja entender ou compreender o dialeto falado na cidade. O livro vai inventariar, brincar com essas palavras que fazem parte da alma profunda da cidade, nomes de lugarejos, ruas, bairros e distritos.



Festiaço III
Ultimamente tenho conversado com alguns monlevadenses sobre a ideia de fazer o FESTIAÇO em Monlevade. Os Festiaços no passado foram grandes acontecimentos, inclusive com shows de Roberto Carlos e outros artistas famosos, com grande investimento por parte do poder público e da cidade como um todo. Os Festivais que aconteciam no Grêmio também eram grandiosos. Havia um público enorme e artistas de alto nivel. Durante o Governo Prandini também aconteceu um Festiaço que foi excelente. Vieram artistas de várias cidades e foi uma festa muito bonita. Inclusive teve uma coisa pioneira: foi transmitido pela internet para todo o território nacional. Agora, algumas conversas vem acontecendo no sentido de se fazer um novo FESTIAÇO.  Tomara que evolua.
ARTISTAS SEM PALCO
Os festivais são muito importantes para revelar novos artistas, novos compositores e intérpretes. Cada festival envolve no mínimo 200 músicos, além de educar o público para as novidades, de abrir as mentes para a poesia e para as boas letras.
PREFEITOS, FAÇAM FESTIVAIS!
Volto a sugerir aos amigos prefeitos da região: FAÇAM FESTIVAIS DE MÚSICA. Eu sei que é mais fácil contratar um som, um DJ, uma dupla sertaneja e que o povão se satisfaz com pouco. Mas se for pra investir em cultura mesmo e oportunizar os artistas, façam festivais de música autoral, abram espaços para que a nova música surja, façam cultura, pelo amor de Deus e por amor à arte.
ROCK PIRA TAMBÉM DEVERIA VOLTAR
Foi o maior Festival de Rock da região em muitos anos. Trouxe a Rio Piracicaba atrações sensacionais, como o mítico guitarrista português Phill Mendes, que em Portugal é conhecido como Phill Mendrix. Trouxe ainda bandas como Apolium, República dos Anjos e foi em uma das edições que surgiu a banda Pato Fu. Quem sabe não esteja na hora de um Rock Pira novinho em folha? Olha aí seu prefeito de Rio Piracicaba: topa a parada? Vamos fazer?
O ROCK NÃO MORREU. SÓ TÁ DANDO UM COCHILO.
Basta que os produtores resolverem que a tribo volta a se reunir. O Rock é expressão de uma geração, é rebeldia, é sonoridade, musicalidade altíssima. Vamos acordar dessa letargia com solos de guitarra,  bateras e baixos treme terra e vocalistas que botam pra fuder. O rock não morre. E se morrer renasce das trevas, que nem fenix. 
NEM SÓ DE VOTO VIVE O HOMEM
Os políticos tem essa tendência em pensar o mundo sob a ótica do voto e isso praticamente exclui a arte. Vc não vê a arte eleger ninguém. Mas é algo tão necessário como comer, beber, fazer sexo ou respirar. A humanidade sem arte e sem cultura fica acéfala, sem alma, sem sensibilidade.

sexta-feira, 13 de abril de 2018

NOVOS TEMPLOS

Enquanto isso na fila do banco...

- Paulinho...que bom te encontrar aqui...tudo tranquilo?
- Tudo beleza. Fora a paradeira né?
- Ah... mas vai melhorar... piorar não tem jeito.
- Mas aqui ...o que você vai fazer hoje à noite?
- Estou pensando em ir a um showzinho que vai rolar. Uma banda nova. Disseram-me que é muito boa.
- É mesmo? Ih rapaz ...eu ia te convidar pra ver um show lá em casa.
- Como assim um show em sua casa?
- É o seguinte. Eu comprei uma TV de LED daquelas de 70 polegadas. Uma parede inteira da minha sala. E descolei uns sites que a gente tem vários shows ao vivo. A gente pode escolher.
- Que barato. Mas e o som?
- você não faz ideia. A gente ouve até a respiração dos caras. Parece que a gente tá lá. E de graça ...sem pagar ingresso.
- É mesmo? Mas sei lá...eu queria ver o jogo do Cruzeiro mais tarde.
- Não tem problema. Na hora do jogo quem quiser assiste. Tem outro ambiente e o pessoal pode curtir os games. Vai ser legal.
- Sei lá...
- Vai lá, sô. Eu convidei também uns amigos...vai ser legal.
- Vai rolar uma baladinha depois? Vai ter umas biritas?
- É claro. E uma música da hora também...
- Quer que eu leve alguns CDS?
- Não precisa. A música a gente pega em streaming na hora. Tem programação pra tudo, todo tipo de música. E de graça.
- Legal ... mas sei lá...
- Sei lá o que, home?  Pense bem. Sem fila, sem gente suada e esquisita, sem músicas que a gente não gosta e com toda segurança. Vamos lá, sô.
- Tá certo. Tenho de levar alguma coisa? Bebidas? Algum ingrediente pra gente fazer um tira-gosto?
- Não precisa se preocupar. Não vamos mexer com cozinha, essas coisas.  Já tenho um bocado de coisas prontas. A gente esquenta no micro-ondas e tá tudo certo.
- Ok. Mas pelo menos a gente vai dançar um pouco né?  Você diz que vai ter uns amigos?
- Mas é claro. Eu tenho uns óculos de imersão que você vai pirar. Você coloca os óculos e quando abre os olhos, está numa pista estribada dançando com várias pessoas bacanas. É uma experiência muito boa.
- Sei... mas aqui... imagine que uma das meninas que vai na festa gosta de mim. Eu vou poder dar uns amasso né?
- Você vai fazer melhor. Se você e essa menina quiserem, poderão colocar os óculos e transar virtualmente no alto do Himaláia, no alto das pirâmides do Egito, no centro de um vulcão.
-Virtualmente? 
- Sim. Mas o erotismo é o mesmo. E a menina não engravida. Orgasmo garantido e sem  contraindicações.
- Tá certo.
- Tá topado então? Posso contar com você?
- A ideia é tentadora. Mas vou pro show da bandinha nova mesmo. Vou aproveitar, pois pode ser que no futuro não tenhamos mais artistas feitos de carne, osso e emoção.  Teremos aparatos tecnológicos até pra limpar nossas bundas. 

 OBS - Como diz meu amigo Cristiano Salazar, a tecnologia tá evoluindo tanto, que daqui há algum tempo não precisaremos mais de gente.



MARCOS MARTINO PRODUÇÕES
(031) - 988151041
marcos.martino@gmail.com
http://marcosmartino.wix.com/marcosmartino

quinta-feira, 5 de abril de 2018

ISSO DÁ VOTO?


Existe um pensamento disseminado de que os políticos não gostam de cultura e saneamento por que não dão votos. Obras de saneamento são essenciais, representam mais saúde e qualidade de vida. Mas ficam debaixo da terra, ninguém vê, não dão votos. O mesmo acontece com a arte e com a cultura porque não são do gosto das grandes massas. O povão acha que cultura e arte são coisas das zelites. Prefere as festas populares regadas a cerveja, churrasco e música sertaneja. O famoso pão e circo.

MAQUIAVEL E OS NOSSOS POLÍTICOS

Toda vez que aparecem pessoas com projetos culturais, os gestores políticos fazem a seguinte pergunta: isso dá voto? Tudo muito instintivo. Todos protegendo os seus empregos e a longevidade do grupo no poder. Preferível investir em eventos populares. O povo quer festas e não festivais.

CULTURA PARECE SER PÉSSIMA PLATAFORMA ELEITORAL

Você alguma vez já viu político que tivesse a cultura como bandeira? Conhece algum candidato que defende a arte? Eu me lembro da Lutécia em João Monlevade e mais alguns gatos pingados. E por incrível que pareça artistas não votam em artistas. Preferem votar no Zé das Couves mas não votam nos colegas artistas. Também devem achar que todo artista é vagabundo.

CULTURA COVER

Prefiro artistas que fazem diferente dos originais. A maioria gosta de conferir se o guitarrista toca o solo original igualzinho, se o vocalista chega nos agudos do original. Eu já prefiro artistas que recriam a criações. Mas fazer o que? De covers dos Beatles devemos ter mais de 300 bandas só no Brasil. E ultimamente tem aparecido um monte de Pinks Floyds.

E AS NOVAS MÚSICAS?

As rádios continuam resistentes às novidades. Poucas tocam artistas novos. Tocam aquilo que é sucesso, as mais tocadas nas paradas nacionais, geralmente sertanejas, funk, pagode, internacionais. Que eu saiba, não existe em nossa região nenhum programa de rádio dedicado aos artistas da região. Tudo bem que a galera hoje tem o recurso da internet, mas o acesso às mídias de massa inexistem.

FESTIVAIS DE MÚSICA? ISSO DÁ VOTO?

Os Festivais de música autoral são fantásticos laboratórios de criatividade. Permitem a participação de um grande número de cantores, compositores, músicos e poetas. Será que as secretarias de cultura e fundações não se sensibilizam com a essa falta de palco para os artistas mais novos? O problema é a perguntinha: isso dá voto? E tem outra coisa. O povo precisa ser reeducado, pois perdeu o hábito de ir a shows pra ouvir boa música. Hoje as pessoas vão pra se divertir e protagonizar. Hoje em dia o povo chega e comenta: - que coisa chata. Devia ter músicas conhecidas, de repente um sertanejo, um funk, um pagode, um batidão.

CONCLUSÃO

O negócio é criar eventos transversais, alternativos, que possam ser construídos à margem da oficialidade, buscando parceiros afinados, criando maneiras alternativas de financiamento, como os crowdfundings por exemplo ( vakinhas virtuais) e outros processos. Agora, não custa nada prospectar também junto aos poderes. É só vc ter alguma resposta pra velha pergunta. Se garantir pelo menos uns votinhos, pode até ser...